Dois projetos brasileiros selecionados por uma aliança latino-americana de tecnologias cívicas

O futuro dos cidadãos brasileiros pode começar a mudar a partir de hoje, graças ao apoio que será recebido pelas duas organizações selecionadas pela Aliança Latino-Americana para a Tecnologia Cívica, criada pela Omidyar Network e Fundación Avina, para fazer parte de uma nova geração de projetos voltados para a ampliação e melhoria do exercício da cidadania, visando mudanças em práticas de impacto coletivo. As outras sete organizações são da Colômbia, Peru, México, Paraguai e Argentina.

Esses nove projetos novos somam-se aos 11 que já estão recebendo o apoio da Aliança, desde 2017, e que estão beneficiando milhões de pessoas na região, por meio do acesso a melhores oportunidades de participar ativamente nos processos governamentais de tomada de decisão. Alguns dos critérios considerados para a seleção são: inovação, capacidade de atender problemáticas sociais a partir do desenvolvimento de uma plataforma ou aplicativo cívico, foco temático vinculado à participação cidadã, dados abertos, acesso universal a bens e serviços públicos, processos de governo aberto e/ou jornalismo de dados, entre outros. Além disso, a proposta deve ser aberta e passível de ser reproduzida.

A partir de março, o coletivo #MeRepresenta e a organização Gênero e Número serão fortalecidos com apoio financeiro e acompanhamento técnico, que lhes permitirão reproduzir, desenvolver, melhorar ou adaptar tecnologias cívicas de alto impacto social.

A Plataforma Latino-Americana de Dados sobre Violência de Gênero é um projeto da Gênero e Número, um meio independente que procura gerar coordenação com outras organizações voltadas para temas relacionados a dados e violência de gênero na América Latina, visando a criação de uma Plataforma Latino-Americana de Dados sobre Violência de Gênero, com o objetivo de fortalecer o debate sobre o tema e propor um padrão regional para coletar e gerenciar as informações relacionadas. O principal conteúdo da plataforma será um Mapa da Violência de Gênero, que incluirá: a) acesso geolocalizado a dados oficiais e outros dados (como os coletados pelos apps de organizações participantes) sobre violência de gênero da região b) informações relevantes relacionadas à violência de gênero, e c) serviços de apoio a mulheres e população LGBT+.

A iniciativa #MeRepresenta, apresentada por um coletivo de organizações, busca aproximar os eleitores da política por meio do uso de ferramentas digitais visando contribuir para gerar votos informados em relação à promoção dos direitos humanos, incentivar a participação política de candidaturas de minorias e monitorar as ações dos candidatos eleitos e suas promessas de campanha.

Para essa nova geração de nove projetos, a ALTEC está destinando 600 mil dólares, que se somam aos 5,8 milhões de dólares investidos no desenvolvimento de tecnologias cívicas nos últimos seis anos. Os resultados alcançados permitiram desenvolver uma metodologia que garante um impacto em grande escala.

Para Lucía Abelenda, diretora executiva da ALTEC, é importante reconhecer que existe uma desigualdade no acesso à tecnologia cívica por parte de homens e mulheres, atravessado por gênero, classe, etnia, idade e outras variáveis. “Manter isso em mente é o que nos permitirá desenvolver e utilizar tecnologias mais inclusivas com capacidade real de melhorar a capacidade de participação e mobilização dos cidadãos e cidadãs”.

“A tecnología cívica genera uma grande oportunidade para que os governos sejam mais transparentes e respondam melhor para as verdadeiras necessidades dos seus cidadãos, ao mesmo tempo que ajuda eles a participar ativamente dos processos de tomada de decisões que impactam no seu día a día”, comenta Felipe Estefan, Diretor de investimentos da Omidyar Network, responsável pelas inversiones em Governabilidade e Participaço Cidadã para Latinoamérica. “ALTEC será o principal motor para – desenvolvimento de um ecossistema de tecnología cívica latino americano, oferecendo apoio e recursos que permitam gerar soluções inovadoras aos problemas de interesse cívico que afetam aos cidadãos e governos da região”.

As propostas foram selecionadas por meio de um processo amplamente competitivo, que avaliou 478 propostas, apresentadas por 574 organizações de 18 países.  Após a primeira geração de 11 projetos, agora se decidiu selecionar outros 9, com base nas propostas que foram finalistas e não figuraram na primeira geração, lançada em setembro de 2017.

Além disso, as organizações e seus respectivos projetos deverão adotar um foco transversal de gênero, um requisito que busca fazer com que as tecnologias cívicas ajudem a diminuir as desigualdades que persistem na América Latina e Caribe. Cabe destacar que seis das nove organizações ganhadoras são lideradas por mulheres.

Leave your comment

Please enter your name.
Please enter comment.
Categorías
Archivos
agosto 2018
L M X J V S D
« Jul    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  
Suscríbete al Newsletter
Para recibir más información de Altec
Nuevos Tweet